O brincar como principal atividade para o desenvolvimento infantil – Um olhar da Terapia Ocupacional - Azul e Rosa

O brincar como principal atividade para o desenvolvimento infantil – Um olhar da Terapia Ocupacional

Quando o assunto é desenvolvimento infantil, a Terapia Ocupacional trata o “brincar” como uma atividade natural e que deve ser rotina no dia a dia de todas as crianças, com ou sem deficiência, de acordo com a sua idade e independente do local que se frequente, seja ele a casa, escola, hospital, e todo e qualquer ambiente social. Entende-se que o brincar é inerte ao ser humano, toda criança quer brincar e toda criança deve poder brincar.

Dentro dos últimos séculos por conta de questões culturais e sociais, muitas crianças apresentam em suas rotinas novos afazeres e deveres, podendo restar pouco tempo para brincadeiras, no entanto, para o desenvolvimento infantil o brincar é essencial tanto para questões motoras quanto para a cognição e aprendizado de regras sociais. O brincar deve estar presente na rotina da criança com diferentes personagens (os pais, irmãos, amiguinhos de qualquer idade, professores, etc.) e diferentes contextos, onde a criança deve poder brincar livremente, utilizando-se de quaisquer estímulos e podendo utilizar e desenvolver a imaginação, faz-de-conta e a criatividade, que só é possível através do tempo ocioso, permitindo que a criança “invente” sua brincadeira.

Cabe aos adultos responsáveis compreender a importância e organizar a disposição desse tempo, do livre brincar, na rotina da criança, dispondo dos instrumentos para estimular a brincadeira e instigando o máximo potencial da brincadeira. Permitir que a criança aja com independência é uma ferramenta potente, o brincar traz ao desenvolvimento infantil a ludicidade (desenvolver a criatividade, o conhecimento pela brincadeira, interação com outras pessoas e assim por diante), ao prazer, as emoções, ao desenvolvimento da imaginação, da autoestima, do autoconceito positivo, da resiliência (enfrentar seus problemas e dificuldades), desenvolvimento do pensamento, da iniciativa e entre outros comportamentos que são adquiridos na infância e utilizados na fase adulta, criando adultos autônomos que sabem o que desejam e conseguem fazer planos afim de atingir seus objetivos.

Sendo assim, brincar é uma atividade que deve ser levada à sério, adaptar a rotina respeitando o tempo da criança e tendo sempre em mente o brincar como a principal atividade da criança, que é quando ela irá aprender a se tornar um adulto feliz.


Isabel Vecchi
Terapeuta Ocupacional

0/5 Singular: (0 Análise)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *